quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Mangaká critica regulação estrangeira e ressalta a importância da liberdade de expressão

A Câmara dos Conselheiros do governo japonês convidou recentemente o mangaká Ken Akamatsu (Love Hina; UQ Holder) para um questionamento em relação a como o governo poderia ajudar a indústria de mangás florecer.

O autor divulgou em seu twitter uma parte de sua respsota, que inclui que uma das politicas mais importantes seria a da liberdade de expressão dos artistas japoneses.

Este mês eu fui convidado para participar de um questionamento [aos deputados] na Câmara dos Conselheiros, mas ao invéz disso, um membro da câmara me perguntou ‘Quais medidas seriam necessárias para que os mangás japoneses sobrevivam no mundo?’ Eu respondi que ‘Primeiramente e e indúbitavelmente, liberdade de expressão. Comparado aos outros países, o ponto forte do japão é sua liberdade de creatividade. Entretanto, com plataformas estrangeiras se tornando cada vez mais dominante eu gostaria de evitar uma situação onde criações japonesas são reguladas por padrões estrangeiros.

Akamatsu disse em seguida que, para que os mangás sejam preservados adequadamente durante a proxima década, os manuscritos deveriam ser armazenados e expostos em um Centro Nacional de Mangás. Depois de tudo isso o autor ainda revelou que todos os membros do governo presentes concordaram com a idéia.

Fontes: Crunchyroll, Twitter do Autor

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: