segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Aberturas contam histórias, e a de Tonikaku Kawaii é um ótimo exemplo

Akari Kito, que canta a abertura, também dá dicas do que a música significa.

Você gosta de aberturas de anime? Pode ser que depende da obra, talvez costume pular algumas por não ser do seu gosto. Ou pode ser que tenha gostado tanto de alguma opening que começou a assistir ao anime justamente por causa dela (meu caso, após ouvir a de Kimetsu no Yaiba).

O fato é que as aberturas possuem um grande valor. Elas não são apenas um clipe musical, mas muitas vezes servem de identidade daquele anime, até de forma marcante. Se eu disser “esse meu jeito de viver”, tenho certeza que vai lembrar de algo. Viu só?

Elas não apenas identificam o anime, ou uma temporada específica dele, mas também costumam passar para o telespectador o sentimento ou o feeling do mesmo (dá pra saber se um anime é de comédia ou de terror apenas vendo a abertura, por exemplo). Além disso, a letra às vezes contém um resumo do plot (a abertura de Maoujou de Oyasumi é um ótimo exemplo) ou transmitem os pensamentos de algum personagem principal. É aqui que chego na abertura de Tonikaku Kawaii.

Tonikaku Kawaii é uma comédia romântica que conta a história de Nasa Yuzaki e Tsukasa, dois jovens que se casam sem nem mesmo se conhecer, e passam a aprender um sobre o outro no dia a dia. Se já acompanhou o mangá ou assistiu aos primeiros episódios (cuidado com possíveis spoilers), deve ter notado que Tsukasa tem um ar misterioso em torno dela. O anime mesmo, logo no início, indica que ela tem semelhanças com a princesa Kaguya, um antigo conto japonês muito famoso sobre uma princesa melancólica que acaba tendo que retornar para a Lua. Neste anime, Tsukasa parece ter presenciado muitos eventos do passado, o que indica que ela tem uma idade não revelada. O que será que ela sente? A abertura, “Koi no Uta”, dá algumas pistas. Assista e acompanhe a tradução logo após:

“How much further till I walk to the moon?
How many cold nights do I need to spend?
How many times do I need to say goodbye?
My eyes will be completely dried up”

A dubladora da própria Tsukasa (Akari Kito) canta a abertura, indicando que essa letra se refere à própria personagem. “Quanto mais tenho que caminhar até a Lua? Quantas noites frias mais preciso gastar? Quantas vezes preciso dizer adeus? Meus olhos vão ficar completamente secos.” Esse é o sentimento de solidão da Tsukasa. Ter uma vida mais longa que outros pode ter tornado ela fria sentimentalmente, de tantas despedidas que presenciou. Você notou isso na primeira vez que ela surgiu no anime?

“It will continue even after a thousand years
But it completely filled this void
What is this feeling?”

Sim, tudo que ela já passou se repetiria lentamente por milhares de anos… porém aqui ela encontra alguém especial. Nasa aparece na tela, e Tsukasa diz que algo preencheu seu vazio. “Que sentimento é esse?”

“It’s simple a “Good morning” everyday
See the blue ocean like a movie in the summer
Learning where you are from leaving where you are from
We layers the moments, like a film we reshoot over and over”

Aqui ela começa a colecionar momentos, muitos deles triviais para a maioria (como receber um “bom dia” cada manhã), mas que para ela são momentos preciosos, por estar vivenciando junto de alguém que ama. É nessa parte que a abertura dá uma grande ACELERADA no ritmo. Diferente da eternidade, onde tudo passava devagar, agora a vida dela passou a ser super agitada.

“Rather than fading or ading colors, the scenery where you are is more vibrant
It’s ok if it was an instinct or sudden I just thought like that, whitout any hesitations
I was asked if I can be trusted that’s a simple question
I’ve been thinking about it, whenever that voice follows me around
And pushing me forward I see, this feeling is love”

Tudo bem se a confissão ou a promessa que fizeram foi repentina, agora ela conhece o sentimento do amor (eu sei, esse post está ficando muito meloso, mas o que posso fazer? É exatamente assim que Tonikaku é!).

“I hope the two fingers we reached over a fire of a thousand years ago
Are still shining after a thousand years later over there
“I don’t mind believing”, I think I heard that
It was always shining down the world
I looked up at the round moon
I see, this feeling is love”

E essa parte da letra, menciona promessas feitas mil anos atrás… como assim? Talvez seja algo que nem mesmo o mangá explicou ainda (até o capítulo atual há apenas indícios). Seria um spoiler, mas está na abertura, ela está citando isso. A Tsukasa sabe que promessas são, e apenas nos deixa curiosos sobre o que ela realmente é e o que vai acontecer com ela no futuro.

Ufa! Perceberam quanta coisa dá pra extrair apenas da abertura? Esta conta um pouco da história, passa o sentimento de uma personagem, e ainda transmite isso pelo ritmo. Até os instrumentos usados tem significado. Hora são instrumentos tradicionais japoneses, hora é um remix com direito a “drop”. Sim, essa mistura de tradição e modernidade tem tudo a ver com a misteriosa Tsukasa e o moderno Nasa!

Nem sempre a fonte onde estamos assistindo traduz a abertura, então pra quem não entende japonês, tem detalhes que acabam passando batido e apenas curtimos a música e o clipe “porque sim”. Espero que este post tenha ajudado você a curtir um pouco mais a abertura de Tonikaku Kawaii! Caso queira apreciar a abertura completa, recomendo o link a seguir, que foi de onde retirei a tradução.

Tonikaku Kawaii é uma obra de Hata Kenjiro, o mesmo autor de Hayate no Gotoku. O anime está em exibição na temporada atual e está disponível oficialmente na Crunchyroll, com novos episódios indo ao ar toda sexta-feira.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: